28 de abril de 2011

Pintura Metalizada

De todas as cores, o prateado é a mais importante no modelismo aéreo. De fato, a maioria dos aviões são fabricados em alumínio e frequentemente as forças aéreas de muitos países não pintam os seus aviões, deixando-os na cor natural do metal. Durante toda a Guerra Fria, ou seja, durante os anos 50 e boa parte dos 60, a maioria das ações previstas pelas forças aéreas consistia no bombardeamento do território inimigo, voando a grande altitude sobre os alvos, ou na interceptação dos bombardeiros inimigos. A intervenção norte-americana no Vietnam, e a consequente revisão da estratégia aérea, obrigaram a repensar a necessidade da camuflagem, que havia sido abandonada após a Segunda Guerra Mundial. Desde então, a maior parte dos países adoptou, e adapta, esquemas de camuflagem individualizados, sendo muito difícil encontrar um avião a voar sem ser pintado. O problema do prateado esteve sempre no centro das atenções dos modelistas, pela dificuldade intrínseca de pintar esta cor de forma verosímil e convincente. Os aviões não pintados, na realidade, não só são envernizados com frequência com um verniz final, como apresentam partes e painéis de tonalidades distintas, devidas à composição dos diferentes metais utilizados ou ao desgaste ou "queimado" provocado pela proximidade dos motores ou armas de fogo. Para conseguir um bom modelo é, portanto, necessário utilizar tintas que apresentem tonalidades mais ou menos distintas, de modo a simular um aspecto o mais possível real. Há que ter em conta que é bastante difícil aplicar a tinta metalizada com um pincel, porque este deixa sempre as marcas dos pêlos. Se se pretende um resultado verdadeiramente realista, após a primeira de mão pode misturar-se o metalizado com preto-fosco, com cinzentos de diferentes tonalidades ou com branco para colorir os diferentes paineis do modelo. No entanto, é necessário consultar cuidadosamente a documentação fotográfica e juntar outras cores com moderação, sobretudo quando se usa o preto. Além das tintas tradicionais, existem outros métodos para se conseguir um acabamento metalizado. 

Spray

Embora sejam caros, são bastante aconselhados porque não deixam qualquer vestígio. Existem em metalizado brilhante ou mate, e podem utilizar-se alternadamente segundo as exigências da zona a pintar. conveniente proceder a uma primeira de mão com a cor dominante do avião (brilhante ou mate), para depois dar a segunda cor, após ter protegido cuidadosamente as zonas a não pintar.



Folhas de alumínio

Pode-se utilizar papel de alumínio de cozinha, que tem um lado brilhante e outro mate. A aplicação é muito complexa e exige um trabalho de muita paciência, mas os resultados são excelentes. Para aplicar as tiras e os quadrados de alumínio, recortados cuidadosamente segundo a área a cobrir, pinta-se o modelo com uma cor qualquer. Antes que a tinta seque, coloca-se a folha de alumínio e pressiona-se com um pano de algodão macio, de maneira a que adira. Se a pintura estiver no momento certo da secagem, o alumínio aderirá perfeitamente, caso contrário, há que esperar até que a pintura ganhe a aderência necessária.





Fundos de lata

Quando a tinta prateada está muito tempo sem ser mexida, o pigmento separa-se do dissolvente, depositando-se no fundo. Raspa-se então com uma espátula e estende-se o pigmento com o dedo e, com a tinta seca, puxa-se o brilho, com um pano suave ou com um cotonete. É importante não exagerar na quantidade de pigmento nem, mais tarde, passar com massa de polimento, para evitar que desapareça por completo. O polimento deve ser feito com movimentos circulares para evitar estrias. Os resultados são bons mas, para o acabamento, e devido à fragilidade da tinta, é conveniente dar uma de mão de verniz.



O polimento faz-se com um pano macio, passando delicadamente sobre a
superfície com movimentos circulares até se conseguir o brilho do metal.


Steel

É um produto específico para o modelismo que permite resultados verdadeiramente surpreendentes. Vende-se em pequenos frascos, com um pincel na tampa, e é aplicado sobre as zonas a pintar de forma a cobri-las com uma película. Uma vez seco, o procedimento é semelhante ao anterior, polindo a zona com um pano macio ou com um cotonete, sempre em movimentos circulares, até se obter o brilho característico do metal.

T-6 (North American) - 1/48 Revell













Modelista  Herbert Santos