22 de janeiro de 2010

Renault UE com Pak 35/36


Em 1930, a infantaria francesa decidiu desenvolver um veículo leve blindado capaz de reboquar artilharia leve (pequenos canhões e morteiros) e transporte de munição. Em 1931 a empresa Renault ganhou o contrato para a produção do seu Renault UE, combinado com o trailer. Em 1937, a partir de um número de concorrentes, a Renault UE2 foi escolhido para  melhoria e a produção em grande escala. Foram construidos mais de cinco mil unidades,  Eles faziam parte do equipamento de série de todas as divisões de infantaria francesa. A maioria dos veículos Renault UE em serviço francês estavam desarmados, aqueles, em 1940, capturado pela Alemanha foram usados para uma variedade de finalidades, incluindo a ser armado com metralhadoras, canhões anti-tanque e artilharia de foguetes.


Versão com Pak 36 - capturada





Original Cargo: Renault UE / AMX UE / Chenillette Lorraine

Função Original: Transporte de infantaria leve
Cargo alemão: Infantaria Schlepper UE 630 (f)
Conversões / Papel / Uso: trator de artilharia

Nota: UE foram convertidos para diversas funções, tais como:
Sicherungsfahrzeug UE (f) - veículos de apoio de infantaria armada com uma ou duas MG34s
Infantaria Schlepper UE 630 (f) Wurfrahmen 28/32cm MIT - lançador de foguetes / transporte
37 milímetros Pak 35/36 auf Infantaria Schlepper UE 630 (f) - transporte de armas
Munições auf Schlepper Infantaria Schlepper UE 630 (f) - transporte de munição

Kit: Mirage
Escala: 1/35















19 de janeiro de 2010

14 Bis dRdesign

Kit em Metal (Photoetched) na escala 1/72. Fácil de montar, porem necessita esperiência em montagem de desse tipo. Dobrado sem muito esforço com ajuda de ferramentas, alicates e uma regua de metal, além de um torno manual.
Para colagem, usei cola Tek Bonder baixa viscosidade de secagem super rápida. (cuidado para não errar na quantidade de cola). O entelamento foi feito apos a colagem, nesse caso apenas do corpo do avião. Nas asas pode entelar antes de montar totalmente o modelo.Complica um pouco na parte de armar as asas requer um pouco de paciência também na questão das amarras com fio cirurgico bem fino , para fazer os cabos que prendem toda a asa.

Ano de montagem 2008










Modelista: Lambert

12 de janeiro de 2010

Pintura de Peças Transparentes

As peças transparentes de um modelo (canopy, torres, faróis, janelas, etc.) devem ser sempre trabalhadas com muito cuidado e a sua montagem e pintura requerem um tratamento especial, algo diferente do utilizado para o resto do modelo. A primeira e mais importante característica a ter em conta quando se trata de peças transparentes é a sua extrema vulnerabilidade: uma simples raspagem ou um ligeiro risco, inofensivos ou facilmente reparáveis em qualquer outra peça do nosso modelo, serão tão evidentes na zona transparente que comprometerão a possibilidade da sua utilização. No caso de danificarmos uma peça de plástico transparente (por exemplo, uma canopy), geralmente devido a um involuntário excesso de cola, devemos, antes de mais, esperar que a cola seque completamente. Depois, passamos sobre a zona danificada uma lixa muito fina (1500 ou 2000) e poliremos a peça com massa abrasiva (a pasta de dentes comum é ótima) aplicada com uma escova de dentes velha. Uma de mão de verniz transparente brilhante, dará à canopy a primitiva transparência e brilho. O método descrito pode também ser adotado para eliminar pequenas ranhuras e riscos superficiais mas, no caso de danos mais sérios, deveremos resignar-nos a utilizar a peça tal e qual como ficou ou tentar a autofabricação (operação que não é muito difícil no caso de canopy de formas mais ou menos rectangulares); também é possivel obter a peça necessária através de uma folha de acetato, utilizando um molde talhado num pedaço de madeira. A melhor solução, contudo, consiste em substituir a canopy original por outra de plástico aspirado (vac-u-form). Além disso, estas canopy são extremamente finas e transparentes, garantindo um resultado final de grande realismo.



Este "Beaufreighter" (conversão para transporte do bombardeiro Bristol Beaufort)
está na escala 1/72. A canopyé cristalina (vacuum-formed neste caso), perfeitamente
"fundida" com os contornos da fuselagem.



Outros pormenores, como as janelas, os faróis dos trens de aterragem e as luzes de posição, podem ser facilmente substituídos graças à utilização de productos como o Superscale "Kristal Kleer" ou o Humbrol "Clearfix", muito úteis também para colar as peças de plástico transparente (um eventual excesso de aplicação pode ser posteriormente eliminado com facilidade e sem consequências). No que diz respeito à pintura, as partes transparentes deverão ser tapadas com cuidado para evitar que a pintura danifique as peças que não devam ser pintadas. Há que ter em conta que a pintura acrílica pode eliminar-se, uma vez seca, muito facilmente com ajuda de um palito, ao passo que o esmalte só se pode remover com diluente, danificando o plástico e, por isso, obrigando a recorrer ao mesmo processo descrito para o dano causado pela colagem. A proteção pode ser feita com máscara líquida (Maskol ou semelhante) aplicada com pincel, Parafilm-M ou com fita para modelismo (tamiya) recortados com um estilete muito afiado. A operação mais delicada da pintura de peças transparentes é a respeitante às estruturas das canopy (as "frames" em inglês): se a peça que representa a canopy tem a estrutura bem evidente e em relevo, é possível cobri-la por inteiro com fita tamiya (bem apertada para salientarmos os pormenores da estrutura), cortar a fita coincidindo com as "frames" e retirar o material excedente: obteremos, assim, uma proteção da canopy que deixará expostas apenas as partes destinadas a serem pintadas. Em alternativa, podemos recorrer à aplicação de tiras de fita-adesiva, previamente colada sobre um vidro, pintada da cor adequada e cortada, uma vez seca e com a ajuda de uma régua de metal, nos formatos requeridos, que são depois aplicados com uma pinça sobre as "frames". Também podemos utilizar para este fim as fitas de grafismo (Letraset, Mecanorma, etc.) disponíveis em diversos tamanhos e cores, em vez da fita adesiva comum.



montagem e a pintura das peças transparentes requerem muito cuidado e atenção,
por serem extremamente frágeis e delicadas. Por isso, é de importância vital a
correta proteção das zonas que não devem ser pintadas.


4 de janeiro de 2010

Lançamento Tamiya - Ferrari F60 2009

A Tamiya lança o modelo Ferrari F60, carro da temporada 2009, embora com histórico irregular e desempenho abaixo da expectativa.
Vem com novos níveis de detalhamento, painéis destacáveis para mostrar as entranhas do monstro, decais metálicos para os retrovisores, PE nas fivelas dos cintos e no stencil para a marca dos pneus e antena de aço.

ITEN nº 20059







  • Comprimento: 246 milímetros, Largura: 90 milímetros.
  • Altamente detalhados 2.400 cc motor V8, transmissão e radiadores.
  • Capota traseira é removível para revelar a área do motor.
  • Pneus Slick são reproduzidas com borracha sintética.
  • Realistico "intensificou-bottom" sob o painel.
  • Decais de alta qualidade, para retratar tanto F. Massa e máquinas K. Raikkonen.
  • Metal para espelho lateral.
  • também inclui o Photo-fivelas de cinto de segurança gravada e um fio de aço inoxidável para a antena.

As linhas do carro do corpo limpo foram fielmente reproduzidas. A tampa do recipiente de combustível pode ser montado em qualquer posição aberta ou fechada.



A asa dianteira características detalhes finos, tais como cercas verticais e pequenas aletas instaladas no lado externo das pontas das asas.



As rodas dianteiras e calotas não rotativas. O cilindro mestre no anteparo dianteiro também é reproduzida.



Além dos adesivos, Photoetched também estão incluídos para representar o cinto fivelas para conseguir um acabamento mais realista.





Capotas traseiro pode ser removido, mesmo após a montagem para mostrar detalhes como o motor e radiadores.

Fonte: Internet