26 de novembro de 2009

Pintura de interiores

Entre as dúvidas que mais frequentemente entre o modelista contam-se as que surgem no momento de pintar e que se referem ao tom exato da cor da tinta a utilizar. Nestes casos, os mais exigentes poderão valer-se de qualquer das hoje muito numerosas publicações (guias, manuais, fotografias), cada dia mais difundidas e de mais fácil localização, que tratam de modo exaustivo e sistemático os temas referentes a camuflagens e acabamentos, respondendo eficientemente às necessidades e dúvidas dos modelistas. Os que preferirem construir o modelo tal como vem (straight from the box), sem recorrerem a outras informações que não sejam as fornecidas pela caixa, deverão, em certas ocasiões, utilizar acabamentos "de fantasia", já que a quantidade de instruções não será uma ajuda muito pormenorizada. Isso acontece sobretudo em relação aos pormenores da pintura a utilizar nos interiores (cockpit, poços do trem, interiores das portas, etc.), frequentemente não mencionadas nas instruções. Claro que a única forma verdadeiramente eficaz é o recurso a uma boa documentação. Os erros mais graves podem evitar-se através das tabelas desta página, nas quais se enumeram as cores mais utilizadas em interiores e trens de aterragem de alguns países. Indicam as equivalências em duas das marcas com gamas mais completas de tintas de modelismo, os esmaltes (abrev. E) Humbrol e os acrílicos (abrev. A) Gunze Sangyo. O sinal "+" indica que a cor é apenas aproximada.




Nenhum comentário:

Postar um comentário