9 de setembro de 2009

As tintas em «spray»

Os sprays são uma alternativa aos pincéis e existem muitos tipos e marcas nas versões mate e brilhante, mas a gama é mais limitada do que as tintas em lata (ou frasco). A sua utilização limita-se geralmente à pintura de grandes superfícies ou a uma série de pequenos pormenores da mesma cor. Encontram-se, todavia, todas as tintas de base nas diferentes marcas, bem como tintas metalizadas (para as carroçarias, por exemplo), alumínio e dourada. Tenha o cuidado de não utilizar tintas em spray de base celulósica, que também existem das mesmas proveniências. Convém também lembrar que as cores dos sprays não se podem misturar. Os sprays apresentam a vantagem de vaporizar a tinta como uma pequena pistola, sem fonte de alimentação exterior e com tinta pronta a usar. A vaporização é muito fina e permite obter excelentes resultados quando aplicada regularmente. A utilização de sprays exige, todavia, algumas precauções. Para que a tinta adira correctamente à superfície do modelo, deve estar limpa e isenta de gorduras, poeira e outros contaminadores. Devido a estes, é importante lavar completamente o modelo com água morna e detergente ou amónia antes de pintar. A água quente pode causar deformação no plástico, tenha assim cuidado com a sua temperatura. Não deverá pintar perto de uma fonte de calor forte e, sobretudo, de uma chama; também não deve trabalhar num aposento insuficientemente ventilado. E faça... por não pintar ao mesmo tempo que o modelo, uma parte da sala de jantar ou da cozinha, pois o jato do spray não é regulável! Pode evitar estes inconvenientes construindo uma pequena cabine de pintura à escala, com uma caixa de papelão na qual colocará o modelo. Antes de começar a pintar, aqueça sempre a lata em água morna antes de a usar. Leia sempre o rótulo para estar certo que não a aquece demasiado. Se a aquecer em excesso, ela pode explodir e pintar a sua sala em vez do modelo - não é o efeito desejado! Ao aquecer a lata, reduz a viscosidade da tinta, ajudando-a a fluir melhor; aumenta também (e significativamente) a pressão do gás, que auxília a pulverização da tinta em partículas mais finas. Um efeito secundário do aumento de temperatura é o solvente evaporar-se mais rapidamente; tenha então atenção e esteja preparado para aproximar mais a lata do modelo e movê-la mais rapidamente, para compensar o aumento do fluxo da tinta. Agite bem o spray para misturar a tinta - uma bola de aço no seu interior facilita a mistura, e nunca deve ficar colada ao fundo da bomba (o que por vezes acontece com as tintas foscas). Para pintar, segure a lata a uma distância de 30 a 40 cm da superfície e assegure-se que o jato do spray está apontado para o modelo; começe a pintar antes do início e acabe só depois do fim do objeto, com um movimento de vai-vém, sem parar, e não insista num ponto, para não provocar escorrimento devido a um excesso de tinta. Trabalhe sempre em camadas finas e sucessivas, deixando secar bem a pintura entre cada aplicação. Terminado o trabalho, limpe a pipeta, invertendo o spray e disparando alguns jatos até que só saia gás, para desentupir os orifícios de pulverização, evitando assim que a tinta os obstrua ao secar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário