24 de agosto de 2009

O conceito Diorama - como realizar.

O seu modelo pode ser valorizado se for apresentado no quadro de um cenário ou de um diorama. O cenário é composto de um ou de dois temas rodeados de personagens; o conjunto é disposto numa pequena superfície. Os temas possíveis são númerosos e cada um pode dar livre curso à sua imaginação: encontro num cruzamento, avaria, momento de descanso durante uma missão, briefing em redor de uma carta do estado-maior, etc. Para os aviões, são principalmente as cenas de preparação para uma missão ou de revisão, ou ainda de choque ou acidente. O diorama reúne um maior número de temas, com um cenário mais elaborado, realizado em três dimensões: campo de aviação com diferentes tipos de aviões, cenas de combate entre beligerantes, etc. Para o ajudar a realizar tais cenários, encontrará numerosos acessórios à escala 1/35, principalmente Heller, Tamiya e Italeri. As gamas são múltiplas e compreendem também armamento individual, sacos de areia, postes de orientação, postes telegráficos, cavalos de frisa, bidões e jerricans, muros de tijolos, panos de muros em ruínas e outros temas diversos. Pode utilizar os materiais mais variados para fazer a base do cenário; para os relevos, empregue placas de esferovite, material leve que se trabalha facilmente, apesar de muito rígido e indeformável a partir de certa espessura. O terreno pode ser feito com Polyfilla, espécie de gesso plástico muito leve, de preferência ao gesso vulgar, mais pesado e que pode estalar se for mal preparado. Para as construções, as ruínas, etc., utilize os modelos disponíveis ou fabrique-os com folha de plástico Evergreenou em madeira, usando, por exemplo, balsa. Estes elementos devem ser depois cuidadosamente ornamentados e integrados no cenário. Para a construção deste tem à sua disposição todos os materiais concebidos para a decoração das maquetas ferroviárias, entre as quais encontra diferentes tintas em pó ou em flocos para imitar a erva (após pulverização sobre uma superfície à qual se aplicou cola branca). Os líquenes de diferentes cores permitem a representação dos arbustos e da vegetação em geral; ramos de tomilho aos quais colará pedaços de líquen dão árvores notáveis de realismo. Citemos ainda os pós diversos, os grãos de cortiça, os produtos para imitar a água em terrenos lamacentos, etc. Não esqueça que a natureza pode fornecer-lhe uma quantidade enorme de materiais gratuitos: raminhos diversos, líquenes naturais, musgo, urzes, pedaços de cascas para representar rochedos, etc. E não duvidamos de que a sua imaginação e o seu talento farão o resto.

Um comentário:

  1. MUITO OBRIGADO PELA DICA SOBRE DIORAMAS, O SEU TRABALHO NO STUG III ESTÁ INCRÍVEL

    VICENTE MINARI
    CAMPINAS/SP
    vicente-772@hotmail.com

    ResponderExcluir